Amyr Klink – Controle Total

Amyr Klink

“O mar não é um obstáculo: é um caminho”.

Amyr Klink, em entrevista à Revista Playboy, em abril de 1993.


 

amyr“O pior naufrágio é não partir.”

Amyr Klink

Amyr Klink (São Paulo, 25 de setembro de 1955)

Empreendedor de expedições marítimas e escritor brasileiro

Natural de São Paulo, filho de pai libanês e mãe sueca.

Ficou conhecido pelas suas expedições marítimas, que empreende geralmente de forma solitária.

  • O primeiro feito a ser amplamente divulgado ocorreu entre 10 de junho a 19 de setembro de 1984, quando realizou a travessia solitária, num barco a remo, no oceano Atlântico.
  • Foi um percurso de sete mil quilômetros entre Luderitz, na Namíbia (África) e Salvador, na Bahia, percorrido sozinho.

amyr2Em dezembro de 1989, viajou rumo à Antártida, em um veleiro especialmente construído para a expedição, o Paratii.

Permaneceu sozinho por um ano na região, sendo que por sete meses, seu barco ficou preso no gelo da Baía de Dorian. Da Antártica, rumou em direção ao Pólo Norte e retornou ao ponto de partida, a cidade de Paraty, em outubro de 1991.


 

  • “Descobri como é bom chegar quando se tem paciência. E para se chegar, onde quer que seja, aprendi que não é preciso dominar a força, mas a razão. É preciso, antes de mais nada, querer.
Amyr Klink in “Cem dias entre céu e mar‎” – Página 6, Publicado por Companhia das Letras, 1985 ISBN 8503000369, 9788503000369 – 188 páginas
  • “Hoje entendo bem meu pai. Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livro ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar do calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece, para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como imaginamos e não simplesmente como ele é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos seralunos, e simplesmente ir ver… Il faut aller voir – é preciso ir ver! É preciso questionar o que se aprendeu. É preciso ir tocá-lo”.
Mar sem fim: 360̊ ao redor da Antártica‎, de Amyr Klink – Publicado por Companhia das Letras, 2000 ISBN 8571649898, 9788571649897 – 271 páginasAmyr Klink-Lampada_interna


 

A partir de então passou a planejar uma viagem de circunavegação da Terra.

Reside em Paraty (RJ), onde mantém uma escola de navegação para jovens carentes.

amyr-klink-1-okAlém de escrever livros, faz palestras sobre planejamento e empreendedorismo no meio empresarial. É formado em Economia pelaUniversidade de São Paulo (USP) e pós-graduado em Administração de Empresas pela Universidade Mackenzie. Atualmente é diretor da Amyr Klink Planejamento e Pesquisa Ltda. e da Amyr Klink Projetos Especiais Ltda. É sócio-fundador do Museu Nacional do Mar, localizado em São Francisco do Sul (SC), e da Revista Horizonte Geográfico.

Em 23 de março de 2007, foi entrevistado por Ruy Altenfelder no programa Diálogo Nacional (número 460) e falou sobre empreendedorismo, espírito estratégico, vocação pela navegação e disse que acredita que o Brasil poderia desenvolver muito mais o turismo.

Klink é casado com Marina Bandeira e tem três filhas, sendo duas gêmeas chamadas Tamara e Laurinha e a outra Marininha.

fontes: citações WIKIQUOTE

wikipedia.org

www.amyrklink.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s