Oswald de Andrade – Poeta, Escritor e Dramaturgo

“Aprendi com meu filho de dez anos/ Que a poesia é a descoberta/ Das coisas que eu nunca vi.”

Oswald de Andrade – poema “3 de maio”;

“Sempre enfezei em ser eu mesmo. Mau mas eu.”

Oswald de Andrade – Ponta de lança;

“Tupi or not tupi – That is the question.”

Oswald de Andrade – Manifesto Antropófago, 1928.


José Oswald de Sousa Andrade (São Paulo, 11 de janeiro de 1890 — São Paulo, 22 de outubro de 1954) foi um escritor, ensaísta e dramaturgo brasileiro. [1]

oswald-de-andrade-escritor-poeta-descontraido

Era filho único de José Oswald Nogueira de Andrade e de Inês Henriqueta Inglês de Sousa Andrade (irmã do escritor Inglês de Sousa)[2].

O escritor pronunciava seu nome – e era assim conhecido – com tonicidade na última sílaba (os-WALD) ou simplesmente

Oswaldo; no entanto, após sua morte, seu nome passou a ser referido com tonicidade na primeira sílaba tônica (OS-wald)[3]

Foi um dos promotores da Semana de Arte Moderna que ocorreu 1922 em São Paulo, tornando-se um dos grandes nomes do modernismo literário brasileiro.

Ficou conhecido pelo seu temperamento “irreverente e combativo”,[4] sendo o mais inovador entre estes. Colaborou na revista Contemporânea[5] (1915-1926).

Fonte das Citações: Wikiquote

Fontes Biográficas: Wikiwand

oswald-de-andrade-escritor-poeta-serio

Escritos

  • Referência: “Do Páu-Brasil à Antropofagia e às Utopias“( Obras Completas), Editora Civilização Brasileira, Segunda edição, Introdução de Benedito Nunes, Rio de Janeiro, 1978.

Manifestos da Poesia Páu-Brasil

  • “A Poesia existe nos fatos.Os casebres de açafrão e de ocre nos verdes da Favela, sob o azul cabralino, são fatos estéticos. O Carnaval no Rio é o acontecimento religioso da raça”. (Página 5, dois primeiros paragrafos).
  • “Toda a história bandeirante e a história comercial do Brasil.O lado doutor, o lado citações, o lado autores conhecidos. Comovente. Rui Barbosa: uma cartola na Senegâmbia; Tudo revertendo em riqueza”.(Pg. 5, terceiro parágrafo).

oswald-de-andrade-escritor-poeta-mais-velho-close

Manifesto Antropófago

  • “Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente.(Pg. 13, primeiro paragrafo).

Meu Testamento

  • “Edgard Cavalheiro: Começarei protestando contra a confusão que se faz entre a seriedade do espírito humano e, por exemplo, a sisudez de uma sessão acadêmica, com suas ratazanas fardadas e a coleção de suas carecas de louça.Ao contrario diso nada mais sério que a blague de Voltaire ou de Ylia Ehrenburg, a fantasia de Joyce e o suspeito moralismo de Proust”.(Pg.23, início do parágrafo).

oswald-de-andrade-escritor-poeta-meia-idade

A Arcádia e a Inconfidência

(Tese para concurso da Cadeira de Literatura Brasileira da Faculdade de Filosofia , Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, 1945).Fonte : idem, pagina 32

  • “Frei Vicente do Salvador ilustra pitorescamente a ganância metropolitana durante o nosso período colonial, quando diz que arrancando o que podiam do Brasil, os dominadores ensinavam os seus loiros a repetir :Papagaio Real !Para Portugal !Para Portugal !(Pg.33, primeiro paragrafo).

A Crise da Filosofia Messiânica

(Tese para concurso da Cadeira de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, 1950). Fonte: idem, pagina 76.

  • “A Antropofagia ritual é assinalada por Homero entre os gregos e segundo a documentação do escritor argentino Blanco Villalta, foi encontrada na América entre os povos que haviam atingido uma elevada cultura-Asteca, Maias, Incas. Na expressão de Colombo, comiam los hombres. Não o faziam porém, por gula ou por fome.(Pg.77, primeiro parágrafo).

oswald-de-andrade-escritor-poeta-jovem

O Sul-Americano Calabar

Torcida indígena a favor de um imperialismo “civilizador”. Leitor pequeno-burguês, não será você?
No Brasil há duas correntes de opinião: os que acreditam que a guerra holandesa acabou e os que sabem perfeitamente que ela continua, através de fundings, empréstimos e tomadas de poder por este ou aquele grupo calabarista.

Citações

  • “Aprendi com meu filho de dez anos/ Que a poesia é a descoberta/ Das coisas que eu nunca vi.”
poema “3 de maio”; Pau-Brasil Uma poética da radicalidade Obras completas de Oswald de Andrade. Por Oswald de Andrade, Haroldo de Campos, Publicado por Globo, 1990, 145 páginas
  • “Sempre enfezei em ser eu mesmo. Mau mas eu.”
Ponta de lança – Página 40, de Oswald de Andrade, Silviano Santiago, Mário da Silva Brito – Publicado por Globo, 1991 ISBN 8525009539, 9788525009531 – 125 páginas
  • “Tupi or not tupi – That is the question.”
Manifesto Antropófago, 1928.

oswald-de-andrade-escritor-poeta-mais-velho-close

Nome completo José Oswald de Sousa Andrade
Data de nascimento 11 de janeiro de 1890
Local de nascimento São Paulo,  São Paulo
Nacionalidade  brasileiro
Data de morte 22 de outubro de 1954 (64 anos)
Local de morte São Paulo,  São Paulo
Ocupação Poeta, Romancista,Dramaturgo
Magnum opus Marco Zero (2 volumes)
Prémios Prêmio Jabuti 1988
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s